O Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba (IHGP) inicia 2022 com várias atividades programadas, em seu projeto de publicações. Pelo menos dois livros serão lançados em fevereiro. Está agendada para o dia 03/02 a live do livro As Luzes do Vale, da historiadora Marly Therezinha Germano Perecin, às 19h30, pela plataforma Zoom, aberta a todos os interessados. O Acervo do Monte Alegre, de Marilda Soares, acabou de sair do prelo e deve também ser entregue ao público no mês que vem.

Está em fase final de impressão o livro comemorativo aos 50 anos da Escola José Martins de Toledo (JMT), de Ártemis, escrita pelo professor Willian Rodrigues da Silva. O mesmo acontece com A Foto e a História – Piracicaba Antiga, do jornalista Edson Rontani Júnior. Ambos serão disponibilizados aos apreciadores da cultura local no primeiro trimestre.

Estão engatilhadas outras impressões, como a referente ao centenário de Tupi (Tupi, 100 Anos de História), do pesquisador Antonio Carlos Angolini, além da obra de Alexandre Armando dos Santos e João Nassif, sobre História e Memória em Piracicaba, com entrevistas de personalidades piracicabanas. Livros que ficarão ao encardo da próxima gestão.

“Encerro minha gestão, de 2020-2021 com um desempenho satisfatório, apesar da pandemia e da crise econômica. Quero deixar meus agradecimentos a nossa equipe do IHGP e à Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac), assim como nossos diretores e associados. Afinal, foram publicadas durante este período O Circo do Veneno, de Diógenes Donisete Moreira, A Lenda da Cobrona, de Ivana Negri, além das obras citadas acima. Lançamos ainda algumas que foram impressas durante a gestão de Valdiza Maria Capranico: A Escola Naturalista de Pintura de Piracicaba, com curadoria de Marcelo Batuíra, Somos Todos Iguais, dos professores Maurício Beraldo e Paulo Tot Pinto, e Dos Solos de Piracicaba às Terras da Amazônia, sobre o professor da Esalq Guido Ranzani, escrita por Adolpho Queiroz”, observa o presidente do IHGP, Pedro Ometto Vicente Maurano.

Em 2021 foi publicada também a revista anual do instituto, que destacou os 100 anos do Grupo Dedini. Para Pedro Maurano, as dificuldades causadas pela pandemia não impediram que muitas atividades fossem feitas de forma virtual. “Além de lançamentos de livros, realizamos encontros virtuais, como a Sessão Magna da nossa entidade, em que foi concedido títulos de membros do IHGP aos jornalistas Angela Furlan, da Gazeta de Piracicaba, e de Marcelo Batuíra, do Jornal de Piracicaba, bem como a medalha de Prudente de Moraes ao ex-presidente do IHGP Vitor Pires Vencovsky”.

No plano das atividades internas do IHGP, destacou-se na gestão Maurano o reinício da digitalização do acervo de jornais, que estão sendo disponibilizados gradativamente no site do instituto (ihgp.org.br). “Trata-se de um trabalho de fôlego, que precisa ser continuado pelas gestões posteriores, afinal, são 130 anos distribuídos em mais de 2.000 volumes de história da cidade registrados nos jornais diários, com exemplares publicados desde o século 19”, conclui o presidente do IHGP.